Lembranças de uma era menos vigiada Part Deux(1/3)


Empolguei tanto escrevendo a continuação da minha primeira crônica, que dessa vez, a dividirei em 3 partes.

Na minha situação, provavelmente o Hubert imitando Roberto Carlos diria “São tantas recordações , héhéhéhéhé!”. Eu, na qualidade de pessoa ocupadíssima que sou não consigo deixar de me lembrar daqueles tempos simples, em que valia à pena ser criança. Com apenas alguns centavos, dava para chegar ao boteco da esquina e se sentir um rei. Perdi a conta de quantas vezes importunei meus pais pedindo 50 centavos pra comprar bala e chiclete – mas prometo que logo isso vai mudar, OK? Palavra!

propeller-beanie_lrg
Nem sei como ainda estou vivo! Se tudo que os doutores dizem sobre alimentação saudável fosse verdade, provavelmente eu teria tido meu primeiro AVC aos 11 anos.
bebe_engordado_commucylon
Quando eu era criança, fazia tudo como não mandava o figurino. Tudo que eu comia era pão, carne e frango – tudo frito afogando no óleo-, farofa, banana frita, sanduba, pizza, batata frita e panqueca. Isso sem falar nos doces, lógico. Gloriosos, gloriosos doces… Antes de descobrirem a ligação perigosa entre hiperatividade e açúcar, os pais deixavam a gente gastar à vontade na vendinha, e ainda ficavam perguntando o por quê de sermos tão elétricos.
balalilithedlilith
Quem seria capaz de esquecer das únicas, deliciosas e magnânimas balas Lilith de maçã verde? Para mim, a melhor bala já inventada na história do mundo. Sempre que chegava minha vez de comprar na cantina da escola, já não tinha nenhuma. E as balas da Mirabel – a mesma do lanchinho? Essas eu nem cheguei a provar por que devem ter durado menos de um ano, mas eu nunca esqueço da propaganda: Didi estava no paredão a ponto de ser fuzilado. Quando o general perguntava qual era o último desejo dele, ele respondia com a maior cara de malandro “Que as balas sejam Mirabel”, e todo o pelotão rolava no chão de tanto rir. Ainda lembro também do Drops dos Trapalhões. A propaganda era em desenho animado, com eles caracterizados como suas versões infantis. Voavam na via láctea montados num tubo de drops como num cometa, e no final o Didi falava “Gostoooooooso!”. Outro que eu não esqueço é das pastilhas Tart- Tease da Garoto. Esse drops era bem pequenininho, enrolado num plástico transparente, com sabor de frutas sortidas, bem azedinhas.

turma-da-monica
Era unânime entre os primos da família: O chocolate Lacta Disney, com os personagens desenhados em chocolate branco em alto-relevo, era mil vezes melhor que o concorrente da Nestlé, com os personagens da Turma da Mônica. Nunca faltavam na casa de vovó.

biscoitos
Outras delícias que duraram bem pouco foram os biscoitos recheados Fofines da Tostines nos sabores brigadeiro, cajuzinho e beijinho, os melhores que a empresa já criou. Nunca entendi porque tiraram de circulação, pois TODO MUNDO adorava, mas enfim… Tinha também os Aymoritos, da Aymoré, com uma propaganda que lembrava um videogame. Outra bolacha que durou pouco foi a Palhacitos da Triunfo. Dessas eu nem gostava muito, mas teve um caso com elas que eu nunca esqueci. Em 92 ou 93, tia Carla morava com Nandinha na casa de vovó. Uma tarde, Nandinha começou a chorar copiosamente. Não tinha quem conseguisse fazer o choro parar. Foi tanto que Natividade, uma senhora meio maluca que morava ao lado, numa casa que parecia um castelo de bruxa, tocou a campainha com um pacote de Palhacitos, pra ver se Nandinha calava a boca. Comovente…



CONTINUA NO PRÓXIMO EPISÓDIO

Anúncios

2 Respostas

  1. Um viva à Junk Food!

  2. A festa está ficando boa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: