Lembranças de uma era menos vigiada part deux(Epílogo)


Quanto aos já mencionados Porcaritos, além do Skiny, a Mabel também produzia a linha Sniks, imitando os outros salgadinhos da Elma Chips.
skiny
Hoje são muito comuns as “tubaínas”de Elma Chips, por assim dizer, mas ainda nos anos 90, isso ainda era raridade. Além dos salgadinhos da Mabel, existiam os da Quéops Chips. Esses eu acho que eram regionais, e praticamente iguais aos dos concorrentes, mas tinham personagens que pareciam mais amistosos que o Chester Cheetah. Bekitos, de bacon, Bokita, o sósia do Cheetos, Quejilhos e Tekito, os Fandangos deles, Kokety, que era a pimentinha e Cepitos, o de cebola.

Ah, sim! Quase esqueci da propaganda de Skiny, com os Trapalhões em sua forma infantil animada, brincando de médico-sem malícia, crianças…. Em qualquer bomboniere era vendido um saco imenso de uns 2 quilos de chips, que media quase 1 metro e meio. Eram daqueles chips bem vagabundos, que vendem na porta da escola. Todo mundo sabia que era ruim, mas todos queriam comprar mesmo assim. Numa excursão, umas colegas compraram um desses. Voltaram da viagem e o saco não tinha chegado nem à metade.
Squizz_G
A Yopa sempre nos surpreendeu com sua criatividade. Criava formas inusitadas para seus sorvetes, como o Squizz, que vinha num tubão de papelão, que podia ser usado para tomar o caldinho do sorvete enquanto derretia na mão da gente. Eles também tinham o Pingolé, nos sabores morango e maçã verde, que vinham com o desenho de um pingüim andando de jet- ski na embalagem.
picole-fura-bolo
Todos sempre recordam de Fura- bolo, Gol e Disco da Gelato, então nem vou falar muito sobre eles. Noutros tempos, as embalagens da Kibon eram de papel e os ingredientes dos sorvetes e picolés eram desenhados em vez de fotografados, aparecendo repetidas vezes ao longo das embalagens, igual aos picolés feitos em fundo de quintal de hoje em dia. Por um tempo, Fruttare foi a linha light dos picolés de frutas, que já se chamaram Suco de Fruta no Palito. É claro que depois dessa orgia açucarada, a saúde dental era muito importante.
kibon_logos
É fato que macho de verdade não escova os dentes, mastiga um pedaço de sabão em barra- feito de cachorro, lógico- e bochecha com água sanitária. Mas quando éramos crianças, volta e meia apareciam aquelas pastas de dente engraçadinhas. Como esquecer de Tandy, por exemplo? Uma das pastas mais enjoativas já criadas. Tinha sabor morango, tutti-frutti e uva – pelo menos, a propaganda dizia que tinham, e além de vir em tubos, vinha numa lata que parecia de espuma de barbear, que enchia os olhos nas prateleiras. No comercial, os bichinhos – símbolo da marca- faziam o guri acordar com o cheiro da pasta de dente. “Oba! Que cheirinho de chicle!” Sei…
tandy
Também tinha o Kolynos Star gel. De cor azul- radioativo, com sabor “bubble- mint” segundo a propaganda feita numa computação gráfica impressionante pra 1991 ou 92- que deve ter sido a inspiração do filme Flubber, de Robin Williams- vinha num tubo transparente e tinha biquinho em formato de estrela. Acho que essa eu nunca achei por aqui. Ainda havia a Colgate e a Signal Jr., que tinham exatamente o mesmo gosto enjoativo, mas a da Colgate também vinha com o bico de estrela. Como as propagandas da época diriam, “obedecer à mamãe nunca foi tão divertido!”

Hoje é uma temeridade, quase um crime inafiançável segundo os médicos, mas as gerações infantis anos 70 e 80 só se alimentavam de baganas. Divertido era nos entupirmos de bala, bolacha, doce e chocolate até começar a ter espasmos musculares e voltar pra casa com a língua, os dentes, a cara e a roupa todos tingidos de corante. Hoje em dia os médicos e nutricionistas bem que tentam dizer “Isso faz mal, come aquilo” “Comer tal coisa é uma imoralidade” etc., mas já deram uma boa espiada nos carrinhos de feira da maioria das pessoas na fila do supermercado?
Dois terços das compras de comida é o que ninguém deveria comer com freqüência. Dêem uma espiada sempre que virem sacos de lixo rasgados na rua. Quase tudo é embalagem de doce, iogurte, biscoito, chips e fritura. Na real, ninguém gosta de ser vigiado, de ser “colocado de volta aos trilhos”. A grande maioria dos gordos só procura ajuda profissional por pressão popular, não por vontade própria.
Aaaaaaaah, bons tempos os nossos em que havia a liberdade pra ser do jeito que quiséssemos sem todo esse policiamento…
girafa_gorda_lazanha_e_macdonalds

Anúncios

Uma resposta

  1. Não sabia da evolução do símbolo da Kibon.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: