E mais um novo poema!


Essa música foi composta em 10 minutos no dia 24 de Dezembro, em pleno calor da indecisão quanto ao que fazer da noite de Natal.

Famílias felizes

Último prego no caixão familiar
A grande corrente há vários anos se rompeu
São só os elos e suas próprias correntes
Cobertos por um campo de força
Que ninguém além deles pode atravessar

Cobertos com a lama da falsa afeição
Sorrisos amarelos ,sinceridade zero
Nem mesmo entre eles há uma família real
Ninho de vespas, se atacam pelas costas
A lei da selva de heranças e traição

Ninguém telefona, ninguém vem te visitar
Ninguém dá a mínima pra sua dor
Pessoas não são ilhas, são frágeis fortalezas
Velhas cavernas a ponto de desmoronar

Anúncios

Uma resposta

  1. E pode deixar. Essa letra receberá melodia!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: